Previdência sob sigilo

O sigilo é, por vezes, importante em nossas vidas. A privacidade nos dá a liberdade de fazer o que queremos, o que precisamos, ou de esconder dos outros aquilo que julgamos necessário.

A mesma lógica pode ser utilizada para o governo de um país. Existem muitas informações sensíveis que os governantes devem manter em sigilo para garantir o bem estar de sua população. Isso é válido para a saúde, segurança, economia e praticamente qualquer área das nossas vidas onde há ingerência do Estado.

Todavia, o sigilo nem sempre é cabível. Especialmente quando a vida e o futuro de milhões de pessoas pode ser prejudicado por tal expediente.

Infelizmente, essa não é a posição oficial do nosso governo.

Confusão na CCJ durante debates sobre reforma da previdência. Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados

No último domingo (21), a Folha de São Paulo publicou que o Ministério da Economia decidiu que os pareceres e cálculos que embasaram a proposta para reforma da previdência devem ser mantidos em sigilo.

Imagine você, ao propor a solução de um problema de matemática financeira, omitir os cálculos “por se tratarem de documentos preparatórios”.

Para o desagrado de gregos e troianos

A comparação acima não busca ser reducionista ou absurda, mas estabelece um bom paralelo. Mesmo os que desejam apoiar a reforma não podem fazê-lo, matematicamente, pois não tem os números em mãos. Aqueles que desejam combater a reforma também o fazem por linhas gerais ou princípios políticos e partidários, mas desconhecem a validade das contas.

Já o povo, que no final das contas é quem paga por todo esse circo, sabe muito menos pois lhe falta informação precisa e isenta.

O mistério acerca de assunto tão delicado e importante para o País deve – se Deus quiser – cair em breve. Mas, ainda assim, é mais uma prova de que a transparência prometida por Jair Bolsonaro em campanha eleitoral está longe de ser uma realidade.

E é essa falta de transparência que deveremos suportar pelos próximos anos.

 

Pedro Henrique Rodrigues da Silva

Pedro Henrique

Esse silêncio todo me atordoa. Atordoado eu permaneço atento.

Você pode gostar...

Quer falar disso?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: