Temer, preso, parece agradar todos os brasileiros

É uma desgraça que em apenas dois anos vejamos encarcerados dois Presidentes da República. É uma situação que reflete bem a ruptura do sistema político com as instituições jurídicas – o que traz ruína para toda a democracia.

A Operação Lava Jato, responsável por dar início a esse rebuliço, enfrentou altos e baixos. Hoje, atravessa crise pela qual são responsáveis seus próprios juízes e procuradores.

Recomendo ao caro leitor que ouça o episódio abaixo do Podcast da Folha de São Paulo, Café da Manhã. Nele, discutem-se momentos em que para fazer “justiça” a operação agiu de modo contrário a lei.

Santa Inquisição

A operação teve ainda um efeito particular no povo brasileiro: despertou uma sede de sangue de político. Todas as demandas reprimidas de uma população que sempre fora explorada pela corrupção – desde os tempos coloniais – irrompeu num desejo insaciável de ver passado a limpo todo o histórico de nossos representantes.

Enquanto se reúne em torno da fogueira, a maioria comemora a prisão de Michel Temer, ex-presidente golpista da República.

Réu em dez processos diferentes, Temer foi apontado pelo Ministério Público Federal como líder de uma organização criminosa que teria movimentado mais de 1 bilhão e 800 milhões de reais.

Sua prisão é significativa por unir a direita e esquerda brasileira, que hoje estão mais opostas do que nunca. A direita comemora a falsa sensação de que a velha política está sendo derrotada. Além disso, louva a Lava Jato como uma arma suprema capaz de erradicar todo o mal.

A esquerda, por sua vez, comemora que o grande arquiteto do golpe de Estado que tirou Dilma Rousseff do poder seja encarcerado. O fato de Dilma ser uma cidadã livre, inclusive, reforça o asco ao que ocorreu em 2016.

Enquanto Presidente, muitas vezes Temer disse sentir-se injustiçado pela reprovação popular. Hoje, talvez esteja feliz por ter, enfim, alegrado o povo brasileiro.

 

Pedro Henrique Rodrigues da Silva

Pedro Henrique

Esse silêncio todo me atordoa. Atordoado eu permaneço atento.

Você pode gostar...

Quer falar disso?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: